Seja bem-vindo a AULAS100, o espaço que ensina informação e conhecimento, com artigos e curiosidades, todos relacionados a temas educativos e de saúde que transformam os leitores em curiosos, competentes e formadores de opinião.

31 de ago de 2009

Gripe suína: Conheça os grupos mais sujeitos à doença


Textos e mais textos sobre a gripe suína nunca param de se acumular. É incrível como uma doença que tem praticamente os mesmos sintomas da gripe comum gerar tantas discussões e dúvidas, até mesmo para os especialistas e governantes que promovem mais e mais campanhas para o controle dessa pandemia que parece disputar o ranking de outras gripes, como a asiática e a espanhola, que engordaram a lista de óbitos no século passado. Por isso, quanto mais informações houver em sites, blogs, jornais, revistas, TV, rádio, melhor para todos se prevenirem. Estou sempre fazendo a minha parte.

Obesidade

A obesidade é o maior fator de risco para complicações da gripe suína, superando o grupo das gestantes e de pessoas com algum tipo de problema no coração.
São consideradas obesas as pessoas com índice de massa corporal (IMC) acima de 30. Passando de 40, já é uma obesidade extrema, que aumenta as chances de morte para as vítimas da gripe suína.

Gravidez

As gestantes podem sofrer complicações se contraírem o virus da gripe suína, como pneumonia, dificuldades de respiração e desidratação, porque seu sistema imunológico é afetado durante o período. As recomendações às gestantes envolvem principalmente um maior cuidado com a higiene e evitar aglomerações.

Diabetes
Diabéticos contaminados pelo vírus H1N1 sofrem elevação importante da glicemia. Por isso, o ideal é que se faça a medição dos índices glicêmicos várias vezes ao dia, além de procurar um endocrinologista para adequar o tratamento do diabetes. A taxa da hemoglobina glicada controlada é de 6%.

Asma

Pacientes asmáticos são mais suscetíveis a desenvolver complicações pela nova gripe, por já terem um quadro mais favorável à pneumonia.

Fumantes

O fumante corre mais riscos de ter o quadro agravado porque a fumaça do cigarro reduz as defesas respiratórias.

O pulmão têm células de defesa próprias, que são destruídas pelas substâncias do cigarro.
As mucosas das vias respiratórias são alteradas pelos compostos do tabaco e não respondem adequadamente.
O fumante tem um processo inflamatório crônico nas vias aéreas, o que dificulta a eliminação do muco. Esse quadro aumenta a possibilidade de infecções.


Fonte: Jornal Extra. Viva Mais.
www.extraonline.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

- Valeu pela visita de vocês e fiquem à vontade para ler e comentar.
- Dêem uma olhada também nas postagens antigas, tem muita coisa bacana para ler e aumentar o conhecimento.
- O mesmo vale para quem chega até aqui através das buscas. Voltem sempre.

.... ...